Blog

5 tendências nas bibliotecas do futuro que merecem atenção

5 tendências nas bibliotecas do futuro que merecem atenção

A ideia de que bibliotecas não mudaram muito desde sua criação em nossa sociedade, há milhares de anos, está presente na cabeça da maioria das pessoas. Mas as bibliotecas, na verdade, estão muito ativas dentro do contexto inovador em que vivemos. Até porque, para manterem-se parte de nossa sociedade, é preciso evoluir também. Por isso, muitas bibliotecas estão apostando em novas tendências de serviços e produtos, muitos deles baseados em tecnologia, para se adequar à realidade de seus usuários.

Mas vamos começar do princípio: você sabe o que um bibliotecário faz?

A organização das informações e as Bibliotecas Digitais

A imagem clássica da biblioteca com estantes intermináveis e livros empoeirados está mudando. Cada vez mais,  as bibliotecas precisam incorporar a seus ambientes elementos digitais. Surgem, por exemplo, as bibliotecas digitais, já que praticamente todas as obras estão sendo digitalizadas e a produção de novas informações muitas vezes começa diretamente no meio digital e na internet. Além de que quase ninguém mais vai até a biblioteca para fazer pesquisas, basta ligar o computador e um mundo de informações se abre.

É por isso que o bibliotecário não mais trabalha apenas com livros, mas sim com a informação em diferentes formatos. Com isso, novas oportunidades surgem na área envolvendo organização, tratamento e disseminação da informação.

Com a expansão dos e-books, acervos e ferramentas de pesquisa online, surgiram as bibliotecas digitais, onde o trabalho desse profissional envolve suportes eletrônicos, virtuais e digitais, especialmente na área de acervos de instituições de ensino e pesquisa.

Diversas organizações estão preocupadas em estudar e mapear as tendências para que as bibliotecas se adequem à natureza da informação que utilizamos para adquirir conhecimento – que hoje é majoritariamente digital. O Centro de Estudos da Biblioteca do Futuro (Center for the Future of Libraries), parte da Associação Americana de Bibliotecas (American Library Association – ALA), divulga em seu website diversas tendências para a área. Separamos algumas das mais legais para vocês acompanharem o que há por vir no mundo das bibliotecas:

1 – Dados em todo lugar

Novas tecnologias proporcionam uma nova abordagem para a captação de dados, sua análise e aplicações práticas. Essas informações podem ser utilizadas para desenvolver produtos e soluções em diversas áreas, entre elas, a biblioteconomia.

O acesso à informação aumentou exponencialmente com as opções digitais. Dentro desse leque, também estão os livros, que estão passando do papel para a tela. É tanto livro e informação disponível, que fica difícil acessar tudo. Por isso, leitores talvez precisem ser lembrados da diversidade de informações que podem acessar através das bibliotecas – organizações que coletam dados.

Uma grande tendência é a disponibilização destes dados e informações com outras organizações de negócios ou governamentais, por exemplo. Dentro de bibliotecas, com profissionais capacitados, será possível conectar dados de pesquisas de diversos estudos, relatórios e iniciativas diferentes, e classificar conjuntos de dados, ajudando usuários a compilar informações de múltiplas fontes.

Outra tendência envolvendo dados é funcionar em parceria com fontes de informações digitais colaborativas como a Wikipedia. Um projeto já almeja tornar as fontes das bibliotecas disponíveis para editores do site colaborativo, possibilitando criar artigos mais corretos e apurados, além de treinar bibliotecários para serem editores da Wikipedia.

2 – Realidade Virtual

Cenários inteiros simulados por computador, que podem ser experienciados como se você estivesse naquele local distante. Usando equipamento especiais – os óculos de RV cada vez mais acessíveis, por exemplo – esta pode ser a forma do futuro para consumir conteúdo e informação.

Narrativas imersivas, oferecidas através da tecnologia da Realidade Virtual, tendem a se tornar uma ferramenta de transmissão de informações na área de educação, com foco em dois serviços-chave das próprias bibliotecas: coleções e espaços. Um dos fundadores da Oculus, uma das líderes no desenvolvimento da tecnologia, Brendan Iribe, disse ao Centro de Estudos da Biblioteca do Futuro que coleções digitalmente escaneadas podem proporcionar aos usuários enxergar realidades tão bem representadas que seus cérebros entenderão que estão realmente lá, facilitando o processo de compreensão na aprendizagem.

3 – Gamificação

Gamificação nada mais é do que a aplicação de elementos e de técnicas de jogos em cenários como na educação, jornalismo ou publicidade. Essa é uma das grandes tendências didáticas do momento, pois desenvolve melhor a literariedade dos conteúdos mais densos e técnicos.

Nos Estados Unidos, as bibliotecas já são espaços que reconhecem e impulsionam a autoaprendizagem. Por isso, são ideais para o tipo de aprendizagem e descoberta apresentadas em jogos. Além disso, as bibliotecas podem encorajar o jogo em grupo, beneficiando as habilidades sociais dos usuários.

4 – Sala de Aula Invertida ou Ensino Invertido

Esse sistema consiste em um modelo onde alunos estudam em casa, via vídeos na internet, e depois completam tarefas durante as aulas pessoalmente, já focadas em resolver as dúvidas do conteúdo. Para que esse modelo funcione, existe uma quantidade grande de trabalho por parte dos educadores na hora de encontrar as fontes e gerenciar as lições. Todos esses serviços podem muito bem ser feitos ou auxiliados por profissionais de bibliotecas e da informação, que já possuem a experiência em análise e categorização de conteúdos.

Além disso, a disponibilização desses materiais online e o gerenciamento das plataformas nas quais estão hospedados podem acabar sendo incunbências das bibliotecas.

5 – Leituras curtas

O formato de leituras curtas está se tornando mais comum em nosso contexto digital. Esses formatos aproveitam oportunidades de tempo pequenas do dia a dia corrido para transmitir informações. Não é uma invenção nova, mas muitas inovações estão colocando as leituras curtas em novos contextos como a rede social Twitter, muito utilizada para quem quer se informar rapidamente, por exemplo.

Na literatura, gigantes da tecnologias como a Amazon estão investindo nesse formato de leitura. O Amazon Rapids é um aplicativo pago que oferece centenas de histórias contadas através de diálogos animados que parecem mensagens de celular, feitos para encorajar crianças e adolescentes a ler cerca de 500 a 1000 palavras em questão de minutos. O aplicativo Hooked, um dos mais famosos do setor nos Estados Unidos, entrega histórias de suspense para adolescentes na forma de mensagens com cerca de 1000 palavras cada. Essa parece ser uma nova tendência para incentivar os jovens a ler, esquecendo um pouco a dinâmica das leituras de fôlego.

Isso pode significar que os novos leitores irão esperar a mesma dinâmica nas bibliotecas que frequentam. As leituras curtas podem ser um novo artifício para engajar leitores e também criar vínculos entre a biblioteca e a cidade. A Biblioteca Pública de Chicago, nos Estados Unidos, fez uma parceria com a prefeitura para fornecer conteúdos curtos sobre a cidade a ciclistas, com o objetivo de ajudá-los a usar o tempo de trânsito para leituras de qualidade em vez de distrações tecnológicas (quando não estiverem pedalando, é claro).

Um mundo para desconectar

À primeira vista, pode parecer que a solução não está de acordo com o contexto. Mas em um mundo onde a informação e a tecnologia estão em todo lugar, sempre presentes, oportunidades de se “desplugar” acabam atraindo muitos leitores. As bibliotecas podem aproveitar a percepção de usuários sobre seus espaços – como locais de silêncio – e providenciar salas em que as pessoas possam se concentrar e focar.

É como uma passagem de “lugares quietos para leitura” para “zonas desplugadas” ou “espaços de fuga do digital”, transformando as bibliotecas não só em agentes propulsores da tecnologia, mas também em locais para balancear o impacto e espaço que o digital tem em nosso dia a dia.

O que você achou dessas tendências? Deixe seu comentário e continue acompanhando nosso blog. Caso precise de algum capítulo de livro específico, conheça nossa loja!